Tamanho Fonte:

 
Untitled Document

MAÇONARIA


   
         
   
         
   
         
   

Clique nas fotos para ampliar
       


A maçonaria surgiu durante a Idade Média na Europa, quando a poderosa Igreja Católica proibia reuniões de pessoas que pudessem questionar ou colocar em risco seu domínio. Assim, para fugir dos inquisidores católicos, grupos da iniciante classe média (intelectuais, artesões e comerciantes) formaram uma espécie de associação secreta, a maçonaria, que visava a busca da verdade através da razão e da ciência e não apenas através da fé.

Teoricamente, a maçonaria copiou a organização dos pedreiros quando da construção do Templo de Salomão, no atual estado de Israel, onde trabalharam 153.000 operários. Para organizar um empreendimento desse porte, numa época que nem o papel era utilizado, criou-se uma metodologia simples e funcional: para fins de remuneração e obediência os pedreiros foram divididos em três classes: aprendiz, companheiro e mestre (apesar da maçonaria dividir seus membros em 33 classes, há classes denominadas de aprendiz, companheiro e mestre).

Cada classe tinha um conjunto de códigos e sinais secretos para que se reconhecessem entre si. Para não ocorrer tumultos ou brigas, freqüentemente havia reuniões onde os mestres conscientizavam a importância do respeito mútuo e ajuda ao próximo para que aquele empreendimento pudesse chegar ao fim. Daí vem a relação dos maçons com pedreiros e do uso de alguns símbolos relacionados com essa atividade profissional (maçom em francês significa pedreiro).

A simbologia maçônica possui uma linguagem lógica e complexa, utilizando desde símbolos com figuras geométricas a sinais, toques de mão e batidas especiais. Um dos poucos símbolos conhecidos pelos não-maçons é o triângulo, que representa Deus, ou como é mais conhecido pelos maçons, o Grande Arquiteto do Universo.


Desenho maçom na fachada de casa


A maçonaria é uma organização não religiosa, cujos membros podem ser de qualquer credo, desde que acreditem num único Deus. Seus integrantes seguem o livro feito em 1723 por James Andersons para a Grande Loja de Londres, com rígidas normas morais e éticas. O lema “liberdade, igualdade, fraternidade” também é adotado pela maçonaria apesar de, contraditoriamente não permitirem o ingresso de mulheres e darem preferência a membros de classes sociais mais altas.

A maçonaria atual possui fins filantrópicos e filosóficos, buscando o progresso da humanidade. Apesar de não possuir definição político ou religiosa, a maçonaria sempre procurou interferir no campo político-ideológico, o que faziam ora estar no poder, ora serem perseguidos.

Perseguidos na Europa, começaram a chegar ao Brasil no século XVIII, durante o ciclo do ouro. Muitos se estabeleceram em Paraty, que na época era o ponto intermediário entre a capital e as minas. Em 1833 fundaram na cidade a loja maçônica “União e Beleza” (na esquina da rua do Comércio com a rua da Cadeia) e muito influenciaram na arquitetura da cidade. O ano da fundação da loja maçônica, coincidência ou não, é um número de elevada importância para a Maçonaria que, segundo a interpretação ortodoxa da Bíblia, seria a duração em anos da vida de Cristo. Derivando desse número, o triângulo é o símbolo maçom por excelência.


Cunhal de pedra, um dos símbolos maçons, em casa do centro histórico. (Foto: André Luiz)


A influência da maçonaria pode ser notada em vários detalhes da arquitetura da cidade. As casas do centro histórico que ficam em esquinas possuem três cunhais de pedra formando um triângulo imaginário. O centro histórico de Paraty foi construído com 33 quarteirões. As plantas das casas foram feitas na escala 1:33.33. E se na Europa os símbolos maçons tinham que ser discreto por causa das freqüentes perseguições, o mesmo não acontecia em Paraty: os sobrados cujos proprietários eram maçons possuem faixas repletas de desenhos geométricos de linguagem maçônica.

Um dos fundadores da loja maçônica em Paraty foi o vereador José Campos do Amaral, que convenceu a Câmara a formular em 1833 o código de postura e obras de Paraty, obedecendo alguns critérios maçons. Graças a esse código e ao isolamento geográfico ocorrido entre 1870 e 1950 a cidade manteve preservadas suas características arquitetônicas. Quando do fechamento da Loja União e Beleza alguns móveis com símbolos maçons foram doados à Câmara dos Vereadores, onde se encontram até hoje.

Para quem considera que o texto desta página explica algo sobre a Maçonaria, necessário repetir a frase do General Albert Pike, líder supremo de uma das ordens da maçonaria: “A Maçonaria oculta os seus segredos de todos, à exceção dos seus seguidores e sábios, ou os Eleitos, e utiliza falsas explicações e falsas interpretações dos seus símbolos para induzir a erro aqueles que merecem ser induzidos em erro; para ocultar a Verdade destes e para a manter afastada dos mesmos.”