Tamanho Fonte:

 
Untitled Document

O FENÔMENO DAS MARÉS


   
         
   
         
   
         
       

Clique nas fotos para ampliar
       


Marés são os movimentos periódicos das águas do mar, fazendo-as elevar ou abaixar em relação a um ponto fixo no solo, causados pela influência gravitacional dos astros, especialmente a lua e o sol. Apesar de o sol ser maior que a lua, esta por estar mais perto, influencia mais as marés que aquele. As águas dos oceanos avançam sobre a parte da Terra que se encontra mais próxima à Lua e também sobre a parte diametralmente oposta, enquanto nas posições perpendiculares, a maré abaixa.

Nos períodos de luas grandes (Cheias e Novas), onde a Terra, o Sol e a Lua estão em oposição ou conjunção, ocorre uma somatória de forças desses astros, e o movimento das marés atinge seu ponto extremo (tanto nas preamares quanto nas baixa-mares), fazendo assim que ocorram as marés de sizígia ou de águas-vivas (marés de grande amplitude), onde as águas correm em grande velocidade, muitas vezes chegando a sujá-las por levantar a areia que repousava no fundo do mar. Nesses dias, quando a maré baixa ao mínimo, o fundo do mar fica a vista em alguns locais, especialmente nas proximidades do cais e nas praias do Pontal e Jabaquara. Por outro lado, quando a maré sobe, as águas invadem a cidade. As ruas foram projetadas para permitir a entrada e saída da água do mar, sendo uma forma natural de limpá-las. As casas foram construídas trinta centímetros acima do nível das ruas, de forma a não entrar a água do mar.

Nos períodos de Quartos Crescentes e Minguantes, ocorre o inverso das sizígias, que são as marés mortas ou de quadratura, onde as águas são calmas e de pouca velocidade.

Existe também a maré meteorológica, que é a diferença entre a maré observada e aquela prevista pela Tábua das Marés. As causas desse fenômeno pouco conhecido são, principalmente, as variações da pressão atmosférica e a ação do vento sobre a água, causando assim níveis mais baixos ou mais altos que os previstos na Tábua.


Maré entrando no centro histórico. (Foto: Eduardo La Regina de Andrade)


As previsões de hora e altura das marés são divulgadas nas Tábuas das marés. Em média, as marés oscilam em um período de 12 horas e 24 minutos. Doze horas devido à rotação da Terra e 24 minutos devido a órbita lunar.

Nas marés muito fortes, quase todo o centro histórico fica alagado e, é normal encontrar caiçaras com suas canoas remando pelas ruas. Nas marés normais, as ruas normalmente invadidas pelo mar são as Dr. Pereira e Santa Rita. Por isso, não estacione o carro nesses locais, em especial na rua Dr. Pereira próximo ao mercado de peixe. A altura que a maré atingiu dentro da cidade fica registrada em marcas horizontais nas paredes das casas das ruas mencionadas.

Cercada por dois rios e pelo mar, um grande perigo para a cidade é coincidir chuvas fortes fazendo os rios transbordarem, com marés muito altas, trazidas pelas marés de sizígia ou por vento vindo do mar em direção a terra.



Glossário

• Preamar: Nível máximo de uma maré cheia.
• Baixa-mar: Nível mínimo de uma maré vazante.
• Estofo: Também conhecido como reponto de maré, ocorre entre marés, período em que não ocorre qualquer alterção na altura de nível.
• Amplitude de Marés: Variação do nivel das águas, entre uma preamar e uma baixa-mar imediatamante anterior ou posterior.
• Quadratura: O sol e a lua formam ângulo de 90° graus em relação a Terra.
• Maré de Quadratura: Maré de pequena amplitude, maré que se segue ao dia de quarto crescente ou minguante.
• Maré de Sizígia: nas luas novas e cheia, as marés lunares e solares reforçam uma a outra, produzindo as maiores marés altas e as menores marés baixas.

Para ver a Tábua da Maré de 2012 clique aqui que você irá para a página do site do Clima Tempo onde há a Tábua da Maré das principais cidades portuárias do Brasil, incluindo Paraty.